domingo, 13 de julho de 2008

Baturité


Hoje fomos dar um passeio em Baturité, Redenção e Capistrano


Após a expulsão dos invasores holandeses, a coroa potuguesa iniciou o processo de ocupação definitiva das terras cearenses.

Foi uma ocupação missionária. Por solicitação dos colonizadores Inácio Moreira Barros e seu companheiro André Moreira de Moura, concedeu-lhes do Capitão-Mor João de Teive Barreto, uma Sesmaria cujos limites abrangiam o centro geográfico a partir do qual se iniciaram futuros povoamentos.

Nove anos após, ou precisamente em 1755, instalou-se no mesmo local a Missão de Nossa Senhora da Palma, tendo como finalidade realdear os Índios Jenipapos e Canindés. Em 1759, o Desembargador Bernardo Coelho da Gama e Casco elevou em Vila o reduto, dando-lhe o nome de Monte-Mor o Novo d'América e deixando sob o arbítrio das Vigárias Gerais a antiga Missão Jesuítica.

Entretanto, no momento de proceder a conferência em relação ao número de moradores, o que deveria constar obrigatoriamente 50 fogos, verificou-se a inexistência deste quantitativo, o que implicaria na inconsistência legal no fato determinado pelo Desembargador. Inconformados com o resultado decorrente da insuficiência populacional e apoiados na estrutura socialmente construída, clérigos e moradores dirigira-se à Corte, expondo e solicitando o restabelecimento do que antes fora proposto.

Desse procedimento e cosoante Carta Régia de 6 de agosto de 1763 e Portaria de 15 do mesmo mês e ano, restabeleceu-se o privilégio anterior. A partir de então cumpriram-se tão somente os complementos de ordem burocrática.

Em edital, publicado a 31 de março de 1784, fixou-se a data de ereção do povoado em Vila definitivamente.

Vencidos os prazos, consignados em lei, deu-se de fato e de direito o que de modo satisfatório viria ao encontro das comuns aspirações. O antigo reduto missionário chamava-se Monte-Mor o Novo d'América.

Sua elevação à categoria de Município ocorreu segundo Lei n° 844 de 9 de agosto de 1858, alterando a denominação para seu nome atual, Baturité.